Qual o objetivo da educação? As pessoas respondem a essa questão dizendo: não há objetivo para a educação. Mas não é assim. O objetivo da educação é o caráter. A educação sem o caráter é inútil.

Princípios da Educação – continuação

Antigamente nos Gurukulas*, os sábios levavam os estudantes consigo onde quer que fossem e lhes ensinavam sem a conformidade com qualquer programação horária. Essa educação era um contínuo processo de aprendizado. Mas hoje, em escolas e universidades, a educação é dada de acordo com uma programação horária definida. Isso limita o objetivo da educação. Mas a educação verdadeira, que molda o caráter, não tem limites. Assim, o objetivo da educação é o desenvolvimento do caráter mais elevado que não tem nenhum limite. Nosso caráter é refletido em nossas palavras, comportamento e conduta na vida diária. Assim, devemos falar de modo agradável e não machucar os outros com nossas palavras ríspidas. É verdade que não podemos agradar sempre, mas podemos sempre falar de modo agradável. Todas as nossas ações são relacionadas ao caráter.

Enquanto cozinham, as senhoras selecionam panelas apropriadas de acordo com a quantidade de arroz a ser cozido. Não faz sentido se uma panela grande é escolhida para cozinhar uma quantidade pequena de arroz. O discernimento deve ser usado para selecionar a panela e a intensidade da chama requerida para o cozimento. Da mesma forma, o discernimento deve ser usado para enriquecer o caráter do homem. Quando convidados mais antigos visitam a casa, até mesmo se a pessoa não pode lhes oferecer qualquer coisa para comer, ela deve, no mínimo, convidá-los para dentro, falar palavras afetuosas e fazê-los felizes. Ao invés disso, se alguém lhes pergunta rudemente: “Por que você veio?” – isso não é bom. Até mesmo quando o pai está em casa, é dito que ele não está lá. Isso não é uma educação apropriada. Falem palavras boas e digam a verdade.

Há três tipos de verdade – um fato, uma verdade e uma verdade absoluta. Falar como é o que viram é um fato. Suponham que Eu os veja vestindo um traje branco e fale que “estão vestindo um traje branco”, isso conota um fato. Mais tarde, em casa, vocês podem vestir uma camisa azul. Então, o que disse antes não é mais o correto. Portanto, um fato é sujeito à mudança. A verdade, por outro lado, não muda com o tempo. Uma pessoa pode trocar qualquer número de trajes, mas ela permanece a mesma. Assim, a verdade é a mesma em todos os tempos. Eu sempre digo que vocês não são uma pessoa, mas três. Aquela que pensam que são, isto é, o corpo físico. Aquela que os outros pensam que vocês são, isto é, a mente. E aquela que vocês realmente são: o Eu Superior. Vocês são uma combinação de corpo, mente e Eu Superior. O corpo é sujeito à mudança. É o Eu Superior que é eterno. Isso é referido como a verdade absoluta nos Vedas**. Ela é imutável e não tem atributos. Ela é descrita como: sem atributos, pura, morada final, eterna, imaculada, iluminada, livre e a personificação do sagrado.

(*) Gurukulas – Escolas residenciais para crianças.
(**) Vedas – As mais antigas e sagradas escrituras hindus, a fonte primária de autoridade na religião e filosofia hindu.

Sathya Sai Baba, Princípios da Educação, 20 de novembro de 2001, 1ª Conferência Internacional de Escolas Sri Sathya Sai, Prasanthi Nilayam, Índia.